quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

As baixas do caminho

Quem se muda deixa os amigos para trás, geograficamente falando. Então, toda vez que volto à minha cidade de origem, ligo e mando e-mails e combino encontros.

Da última vez, acabei não dando notícia para uma de minhas amigas mais antigas. Desde que saí de BH, temos nos encontramos uma, duas vezes por ano. Eu gosto dela, a gente se conhece há muito tempo, mas estamos indo por caminhos cada vez mais diferentes. Fiquei com preguiça, sabe? De contar os meus planos e lidar com o espanto. Ou de não contar e a amizade ficar falsa. Resolvi desatar os laços e deixar o contato ir ficando cada vez mais fraco.

O engraçado é que, ao mesmo tempo em que eu desistia da convivência com uma amiga, outra amiga, por sua vez, sumia do mapa. Dei perdido aqui e ganhei outro acolá. Ah, o universo. Esse brincalhão.

(Chris, se você ler esse post e ainda quiser ser minha amiguinha, me manda um e-mail, tá?)

4 comentários:

  1. Ufa... Ainda bem que a gente encontrou e eu não sou essa amiga. Hehe... Mas sei como é. Passo e passei pelo mesmo processo com algumas pessoas. Chega uma hora que os interesses ficam muito distantes, visões de mundo muito diferentes, e os encontros acabam virando mais uma obrigação do que um desejo. Há um tempo que eu decidi não me obrigar mais. Tem sido bom, viu?
    Ah... E adorei te ver! Estou me programando pra em 2012 te visitar em Brasília, enquanto é tempo :)
    Beijão!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Fê! Também adorei te ver. E nem foi obrigação, viu? =D
    Vamos ficar te esperando aqui em Brasília, então!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Ei Lud! Hoje que estou entrando no seu novo blog e me colocando a par de tudo!!! E nao eh que dei com esse post com meu nominho?? Vou mandar email gigante de desculpas, perai!rs.

    ResponderExcluir