sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Resistindo à "oportunidade"

A irmã I., que é muito chique, vai pros EUA fazer um curso de trabalho em março. Ok, na verdade ela vai dar o curso, porque ela é muito chique mesmo. Da primeira vez que ela foi, fiz um monte de encomendas (bolsa, tênis, maquiagem, produtos de beleza, porque lá é tudo mais barato mesmo) e ela, que tem a maior boa-vontade do mundo, trouxe tudo.  Dessa vez ela falou que vai, eu tive aquele ato reflexo de aproveitar a oportunidade, e... não consegui pensar em nada.

Fui nos sites que eu costumava namorar (e comprar pra entregar no endereço americano dela), mas nada me  tentou. Também não sei que malabarismo lógico eu ia fazer caso tivesse me interessado por alguma coisa, porque, afinal de contas, eu não estou comprando. (Pedir de presente de aniversário adiantado? Fazer uma cláusula no compromisso "nada de compras" - "somente válido no território brasileiro"? Pedir de presente de natal adiantado?)

Fiquei feliz, porque isso significa que estou conseguindo resistir à "oportunidade", que é um dos meus pontos fracos. Também significa que estou consciente do montão de coisas que eu - ainda - tenho.

Só não vou resistir a uma encomenda: um pacote gigante de M&Ms, por favor.

3 comentários:

  1. Hehe, posso pedir pra ela trazer cousas pra mim na sua cota? Que eu não sou desprendida ainda e tem um monte de trem de criança que eu ambiciono... além de quilos de M&Ms de pasta de amendoim, lógico ;)

    ResponderExcluir