quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

O Caso dos Enganos

Às vezes a gente se engana nas escolhas. Eu, por exemplo: batalhei pra ser chefe do meu setorzinho. Trabalhava fora do horário, insistia para participar dos projetos, ajudava o chefe antes dele perceber que precisava, tinha ideias, iniciativa e empolgação. Isso porque achava que, em uma posição de decisão, ia conseguir mudar as coisas e deixar a área mais útil e produtiva.

A boba. Bem que o Leo dizia pra eu ficar quieta no meu canto. Depois que virei chefe, consegui mudar tão pouca coisa que é até triste. Gasto um tempo danado lidando com distribuição de trabalho, controle de horários, aprovação de férias e feriados e pedindo pelo amor de deus pro povo mudar um pouquinho, um pouquinho só, por favor, pode ser? Trabalho muito mais do que todo mundo no meu setorzinho, vou pra casa pensando no serviço, resmungo com o Leo dos meus funcionários (e aposto que eles também resmungam de mim). E isso não é o pior - o pior que aquela empolgação sumiu.

Ultimamente, acho que o bom de ser chefe é só a mesa no cantinho e o dinheirinho a mais todo mês (vocês sabem que eu aprecio um dinheirinho). Mas estou ficando tão frustrada que, daqui a pouco, vou estar é pagando pra deixar a chefia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário