sexta-feira, 13 de abril de 2012

Academia de ginástica? Não, obrigada

Na época em que eu achava que era minha obrigação moral ser bela, me matriculei três ou quatro vezes em academias de ginásticas. Eu era magra, mas não era o suficiente, né? Eu também tinha que ser malhada.

Eu odiava cada minuto. Achava que estava gastando um tempo danado. Não gostava do ambiente nem da música. Mas ia, direitinho, pontualmente, como boa caxias que sou. Até chegarem as férias, eu trancar a inscrição, e nunca mais dar as caras, radiante de felicidade.

Não estou dizendo que academia não funciona. Minha coordenação motora melhorava, a força aumentava, os músculos ficavam definidos. Mas a relação sofrimento/benefício, galera, era péssima.

Uma das coisas que mais me deixou mais feliz quando descobri que não precisava ser linda - que eu só precisava  ser eu - foi que a partir daí nunca mais pus o pé em academia. Tem uma perto da minha casa, e toda vez que passo na frente dela dou uma risadinha de alegria.

* * *

Dito isso, eu e Leo pretendemos ser velhinhos saudáveis e viajentos. Então a gente tenta se exercitar com frequência - ou melhor, a gente tenta com frequencia se exercitar. Já jogamos tênis (e eu estraguei o ombro direito), nadamos (e eu ficava enjoada), corremos (sem maiores problemas) e agora decidimos que o melhor exercício para nós é caminhar. Corrida é muito bacana mas muitos praticantes acabam se machucando. Já a caminhada é um movimento natural do ser humano, não tem efeitos colaterais (que eu saiba), e ainda permite que a gente vá conversando e troque um montão de ideias durante o processo.


6 comentários:

  1. Num mundo em que existem aulas de dança e yoga, também dou risada para as academias. Nunca mais. Odeio, do jeitinho que você descreveu. A alegria de dizer "não quero e não preciso" é tudo de bom mesmo. Dançar dançar dançar, aí sim.

    Bj.
    Rita

    ResponderExcluir
  2. Só para constar, correr tb e um movimento natural do ser humano hehe

    ResponderExcluir
  3. Rita,
    dançar é muito bom! Tô precisando de checar essa alternativa aí.

    Anônimo,
    então... há controvérsias. Só porque a gente consegue correr não quer dizer que o corpo humano tenha sido feito pra isso (não que eu esteja dizendo que não foi, sabe?). Só sei que muita gente que corre estraga joelho, cotovelo, tendões etc. Prefiro evitar, rs.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Lud & Léo!
    Cheguei ao blog de vocês (na verdade, ao Ludmilismos) através do blog da Lola! Gostaria de dizer que me identifiquei bastante com esse ideal minimalista e econômico de vocês e que estou tentando economizar para morar fora por um tempo também.
    Agora essa história de academia, hein? Já me matriculei em todas aqui das redondezas e não perseverei em nenhuma... parei de jogar $$ fora e agora também estou caminhando - e rindo na cara de quem se oferece ao sofrimento :D Brincadeiras à parte, comento hoje pela primeira vez porque normalmente leio no trabalho e lá não posso ficar muito tempo, então só me divirto lendo os posts de vcs. Um beijo!

    M.

    ResponderExcluir
  5. Correr é tão bom, mas o problema é que tem gente que exagera. O exagero é que machuca. Mas caminhar é muito bom também.
    Nossa, Lud! Sabe do que eu lembro sempre com a maior nostalgia? De uma época em que a gente caminhava juntas na Barragem Santa Lúcia, quando você morava lá. Eu adoraaaava. A gente andava e conversava horrores sobre livros e seriados. Lembra?
    Saudades de vocês dois! :)

    ResponderExcluir
  6. Oi, M.! Bem-vinda ao time!

    Fê, saudades daquelas caminhadas também! Não sei como a gente conseguia conversar tanto e caminhar tão rápido!

    ResponderExcluir