terça-feira, 10 de abril de 2012

Balanço dos meses sem compras

Em agosto de 2011, resolvemos cair no mundo. A partir daí, uma das palavras de ordem passou a ser "economizar". Li um monte de blogues de minimalismo e de consumo responsável, e pronto: decidi que a partir daí íamos ficar sem comprar.

É um desafio sem data fixa para terminar. Isto é, acaba quando nossa aventura começar. E não foi uma promessa impensada, empolgação de momento: é basicamente uma maneira de implementar as nossas metas. Queremos guardar dinheiro e queremos diminuir a quantidade de objetos que possuímos. Então nada de adquirir coisinhas novas, né?

Íamos firmes e fortes até viajarmos, em novembro. Resisti a uma botinha nova (eu já tinha outra, que funcionou perfeitamente bem), mas cedemos na hora de comprar livros (para ler nos trajetos de trem e de avião). Foi aí que nos convencemos que leitores eletrônicos seriam uma ótima aquisição: livros digitais custam mais barato e não ocupam espaço na mala.

Pra completar, comprei um blazer preto (em minha defesa, foi para devolver o que eu tinha pego emprestado da irmã I. há mil anos), um xampu para cabelos brancos (porque eu tinha uns quatro lindos fios branquinhos na cabeça, mas após a aquisição eles imediatamente pararam de se reproduzir e hoje o xampu está encostado) e presentes adiantados de natal. A festa acabou aí, mas o estrago já estava feito.

Balanço da temporada "sem compras" até agora:

1) 4 livros em papel
2) 2 leitores eletrônicos
3) 1 blazer preto
4) 1 xampu para cabelos brancos
5) presentes de natal  (para os outros, então não conta, né?)

Um período menos do que perfeito, mas esforçado.

Um comentário:

  1. Bom saber que o período foi menos que perfeito!
    Ainda mais que essa idéia de ficar sem compras não tem data para acabar. Com um pouquinho de flexibilidade, a chance de você conseguir passar o resto da vida comprando só o necessário (e eu acho que uma bobagenzinha interessante às vezes é bem necessária) aumenta muito.

    ResponderExcluir