quarta-feira, 27 de junho de 2012

O golpe da mudança

Quando viemos para Brasília, comecei a trabalhar quase imediatamente. O Leo, que começou um mês depois, se encarregou de instalar cortinas e telas, providenciar internet e tevê a cabo, abrir as caixas e organizar as coisas, tudo praticamente sozinho.

Dessa vez, estamos os dois trabalhando, mas eu tenho um novo sistema entrando no ar e ele tem muitas horas de crédito com o chefe. Então, de novo, é o Leo que ficou com as burocracias do processo. Com o agravante que estamos levando tudo para a Toca por conta própria.

Ele brinca que eu estou dando o golpe da mudança - de novo. Mas, como ele deu o golpe do passaporte (quando éramos namorados, eu tinha altas esperanças de que ele ia conseguir a cidadania europeia, por causa do bisavô italiano. No fim das contas e dez anos depois, foi o meu passaporte português que saiu), acho que ficam elas por elas.

3 comentários:

  1. Lud, entrei no blog onde vc mostra todos os produtos que está vendendo mas não achei espaço pra comentários. Olha, vc não colocou pra vender, mas se por um acaso você tiver toalhas de mesa redondas e quiser vender, por favor me avise, pois preciso muito de pelo menos umas duas! É super complicado achar toalhas redondas interessantes!

    Em relação a seu post, eu consigo entender a dificuldade de mudar levando as próprias coisas: mudei de avião de BH pra Curitiba há alguns anos e foi uma LOUCURA total... Eu não toruxe móveis, mas trouxe todos meus objetos pessoais de avião e nem preciso dizer que muita coisa eu simplesmente deixei pra trás.

    Abraço!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Oi, Marina!
    Não tenho toalhas redondas, não... nunca tive mesa redonda. Aliás, tive mesa quadrada por 6 anos e nunca comprei uma toalha quadrada (usava as retangulares mesmo)!
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. leozinho, se voce quiser fazer minhas mudancas tambem empresto o passaporte : )))))))

    ResponderExcluir