quarta-feira, 18 de julho de 2012

A beleza dos espaços pequenos

Eu achava que morar em um lugar pequetito por seis meses ia ser tranquilo. Pois está sendo mais que tranquilo - está sendo ótimo. A casa fica arrumada em um instante, conversamos sem levantar a voz quando um está na sala e outro no quarto, e a criatividade está a mil: todo dia inventamos uma solução original para alguma necessidade.

Já decidimos que, quando voltarmos do período sabático, vamos alugar um apê parecido: pequeno e  mobiliado. É tão prático, tão confortável, tão anti-entulhamento... (Antes de comprar a mochila, por exemplo, eu chequei se tínhamos espaço pra guardar).

Só tem uma coisa que a gente sente falta: máquina de lavar roupa. O futuro possível quarto-e-sala podia muito bem vir com uma.

E estantes. Vê lá se eu volto da nossa aventura sem uma grande caixa de livros enviada por navio cargueiro.

6 comentários:

  1. Tenho uma amiga que mora num quarto e sala. Ela colocou prateleiras em TODAS as paredes do quarto, da sala e do minúsculo corredor do ap dela. As prateleirs são um pouco mais altas, então não atrapalham a mobilidade e ficam lindas como elemento de decoração. Aqui em casa no inverno eu mando roupas pra lavar fora em uma lavanderia que cobra pelo engradado. Um engradado de roupas lavadas, secadas e dobradas = 27,00. Usamos uns 2 ou 3 engradados por mês e eventualmente madamos lavar edredons. Talvez você consiga encontrar uma lavanderia que faça esse esquema por aí! Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina,
      ai, os preços de Brasília. O mais em conta que a gente descobriu foi uma lavanderia que cobra 15 reais o quilo. Mas pra roupas levinhas não deve ser tão ruim, né?

      Excluir
  2. Não curto prateleiras. Visualmente, acho-as lindas, mas o pó que as coisas pegam me desanima. Mudei para um bairro particularmente empoeirado (Águas Claras, a Lud deve conhecer a fama - o nome do bairro é uma piada pronta) e as poucas prateleiras que tenho foram feitas pensando na gata de estimação. Aliás, ter uma gata é outra razão pra fugir das prateleiras, que lotam de pelos!

    Comprei uma lava-e-seca e, embora não seja necessário secar tudo na máquina, é uma opção muito bem-vinda. Recomendo. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu,
      prateleiras abertas tem o problema do pó mesmo. Acho que a solução é fazer nichos fechados com vidro - não muda tanto o visual e protege o que está lá dentro.
      Ri muito com a piada pronta de Águas Claras. Sei que é um bairro que é cheio de obras. Mas pensa no lado bom: daqui a uns 5 anos vai estar tudo pronto. Aí você vai ter vista consolidada e nunca mais vai escutar britadeiras.
      Lava-e-seca em um único aparelho? Que ideia divina.

      Excluir
  3. Lud querida!
    Tenho acompanhado o teu "desapego", e tentando me inspirar! Odeio acúmulo de coisas também, e adoro aptos pequenos. Tenho horror de puxar uma coisa no meu guarda-roupas, que, aliás, tem espaço limitado, e cair tudo, aff! Me conta uma coisa: O que fizeste com teus livros de Direito da graduação? queria me livrar de tudo, mas penso que um dia posso consultar e tal, quando na verdade, olho até artigos do código pela web, hahaha. Ah, e outra: Alguma ideia para casacos de inverno? Putz, ocupam um espaço danado, e são caros! Ainda estou a procura de um casaco que seja aquele casaco, ou seja, bonito, e realmente quentee! No Sul faz frio!!!
    bjos

    ResponderExcluir
  4. Ah, Gabriela, os livros de direito da gradução... Guardei por anos, mesmo trabalhando com outra coisa, mesmo os relativos ao velho Código Civil (naquela ilusão que um dia eu ia fazer uma pesquisa histórica). O problema é que livros de direito ficam desatualizados rápido, né? Eu sugiro que você os doe para uma biblioteca próxima de você, ou para alguém da família que esteja fazendo o curso - porque aí, caso você precise consultá-los, fica fácil.

    Para os casacos de frio, eu tenho a solução ideal: guardo na casa da minha mãe, rs. Mas nem é tanta maldade quanto parece. Ela tem uma porta de armário no qual todas as filhas deixam todos os itens de inverno, e quem precisa vai lá e pega. Então é comunitário.

    Talvez uma boa solução para quem não tem armário de mãe sejam aqueles plásticos a vácuo, que diminuem o volume do que está lá dentro. Minha cunhada comprou e disse que funciona. Mas tem de procurar, porque tem lugares que vendem a preços extorsivos!

    E quanto ao casaco ideal... sem querer ser esnobe horrível, e já sendo, talvez o melhor lugar para comprá-los sejam um país no qual faz frio mesmo (de preferência nas promoções de fim de inverno, ou em um outlet). Quem sabe na Argentina? Lá no armário comunitário da família tem um sobretudo preto de lã e cashmere comprado em Buenos Aires que é lindo e quentinho.

    ResponderExcluir