segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Filhos, melhor tê-los?

O grande problema de decidir não ter filhos é que a possibilidade fica eternamente em aberto. Por mais que você  esteja certa/o da sua escolha, sempre tem um fulaninho que prevê que você vai mudar de ideia. Quando você tem filho, não há essa chance: ninguém vai tentar te convencer que é bobagem, que bom é ficar sem. Pariu, tá parido.

Anunciar que já passei dos 35 (36, com orgulho) não adianta. As pessoas me contam da prima da vizinha do colega, que teve o primeiro rebento com 41. Engraçado que ninguém fala de adoção: sou eu que digo que, se um dia nessa vida mudar de ideia, tem esse outro jeito de ter herdeiros.

Posso imaginar eu e o Leo fazendo cinquenta, sessenta anos, e as mães/tias/primas perguntando: e vocês, quando é que vão se animar?

E a gente respondendo - como sempre respondemos: Aqui desse mato não sai coelho, não.

Nem filho.
Mato COM coelho. Não vejo nenhuma semelhança conosco.

7 comentários:

  1. Sou da mesma turma... e ouço os mesmos comentários. "Ah, um dia você vai mudar de ideia". Quando respondo que, se eu mudar de ideia, posso adotar, o ar das pessoas é de incredulidade.

    ResponderExcluir
  2. E se vc ficar com vontade, te empresto uns sobrinhos por uns tempos ;)

    ResponderExcluir
  3. Me solidarizo que esse assunto é complicado.

    Também sempre, mas SEMPRE ouço isso. E agora se agravou pois fiquei meio sensibilizada em ter uma sobrinha, só que EU não tenho maturidade o suficiente para isso ainda (acho), tenho outras prioridades, etc. Dai sempre me dizem "mas nunca é a hora certa, não existe momento ideal", e coisas do tipo.

    Outro complicador é que do pessoal do meu tempo desde as séries iniciais, só este ano 6 mudaram de status para "mãe". E eu estou falando das relutantes como eu, pois a maioria já tinha filhos.

    Não é fácil essa fase dos 30 ou 30 e poucos anos!

    ResponderExcluir
  4. As pessoas cobram, primeiro que a gente namore "Não tem namoradinho?", depois, que noive "E quando sai o noivado?". Aí, queem saber "Quando é que vão casar" e depois "Quando vão encomendar um neném". Nasceu o primeiro?, "Quando é que vao ter o segundo?". Gente, esse troço é complicadíssimo! Tem a ditadura do filho mas a coisa começa lááááá atrás com a ditadura do casal, com as pessoas o tempo todo enviando a mensagem de que temos que ter alguém senão seremos infelizes.

    Eu não tenho filhos; às vezes tenho vontade de ter, às vezes não. Na dúvida, não tive ainda. Quando a certeza vier (se vier) eu vou tentar e se ela só vier mais tarde também pretendo adotar.

    ResponderExcluir
  5. É igual a Marina falou mesmo... As pessoas nunca estão satisfeitas. Na verdade, acho que é tão comum falar e ouvir essas perguntas que as pessoas falam sem pensar, só pra preencher espaço de silêncio, igual quando falamos sobre o tempo (tá frio, tá calor, essa chuva, hein?).

    ResponderExcluir
  6. Se você não se importar em ser grossa, faz como meu marido - ele responde que prefere ter o sofá arruinado pelos gatos que a vida arruinada pelos filhos. É de brincadeira mas já vi pessoas ficarem super sem graça e não insistirem no assunto, ahahahah.

    ResponderExcluir
  7. Nunca vou entender pq as pessoas querem que td mundo faça td igual a elas...eu quero filhos e mts, tipo 6, mas quem decide isso sou eu e o pai das crianças, ne. Ainda bem que sempre tive fama de insuportável, metida, nojenta e as pessoas, especialmente famliares, evitavm falar tais coisas pra mim hohoho

    ResponderExcluir