sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Nova carreira em vista: decoradora de interiores familiares

Como li vários blogues sobre o assunto e recobri minha casa de papel contact, estou achando que sei tudo de decoração. Ou pelo menos o suficiente para dar palpite nos apartamentos da família.

(Na verdade, é muito mais fácil fazer sugestões quando a gente não mora no lugar, simplesmente porque o olhar ainda não está viciado no jeito em que os móveis estão arranjados.)

O apartamento dos meus pais tem uma daquelas salas grandonas, de três ambientes. Minha mãe vive dizendo que "quer dar um jeito" na decoração, já que, quando se mudaram, simplesmente instalaram os móveis do apartamento antigo. Ela até já chamou uns decoradores para fazerem propostas, mas ela nunca gosta do que eles propõem.

Aí eu disse que EU ia ajudá-la a arrumar a sala. E comecei a entender porque às vezes os decoradores ignoram os clientes. É porque eles podem ser MUITO teimosos.

Minha mãe acha que sala da gente tem de ter a cara da gente, e não a cara da decoradora. Eu concordo. Só que "cara da gente" não pode ser um monte de objetos sem nenhuma relação entre si: móveis de vários acabamentos, enfeites de vários estilos, tapetes de várias cores. Quer dizer, até pode, mas aí não dá pra dizer que alguém se preocupou em deixar o ambiente harmônico. E  não sou eu que quero "dar um jeito" na decoração. É a minha mãe. Faz uns 10 anos.

4 comentários:

  1. Parece que ela está precisando praticar o desapego antes de poder pensar em dar um jeito na decoração...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu,
      desapego? Minha mãe? Rárárá. De quem você acha que eu puxei minha tendência pra guardar tudo sempre?
      Eu estou me livrando da tendência. Minha mãe mantém a sua, alegremente. E agora que as filhas saíram de casa, ela tem mais armários ainda!

      Excluir
  2. Lu, acho que sua mãe e eu somos parecidas, gostamos de casa com coisas de estilos e épocas diferentes misturadas e não gostamos de nada com cara de que foi um decorador que fez. Também gosto de ter vários objetos expostos, não sou nada minimalista nesse aspecto! Claro que eu entendo o que você quer dizer e provavelmente ela entende também. Eu acho que ela conseguiria decorar a sala ela mesma caso desse uma pesquisada em revistas de decoração, blogs, ideias de organização, etc. É possível sim misturar elementos completamente diferentes num ambiente, mas é preciso algum método, né? Abraço!

    ResponderExcluir
  3. Marina,
    eu também gosto de decorações ecléticas. Como você disse, há de termos método para elas funcionarem!
    Minha mãe tem muito bom gosto para muitas coisas. A sala é que está emperrada. De repente é uma barreira psicológica, rs.

    ResponderExcluir