quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Deixa eu contar minha historinha com Paris

A primeira cidade estrangeira que conheci foi Paris. Eu tinha 16 anos e fiquei alucinada.

Isso foi há 20 anos. Na época, não tinha internet. Viajar para outro país era caro, difícil e complicado. Você dependia das informações das revistas de turismo (poucas) e das agências de viagem. Chegando ao destino, tudo era surpresa e descoberta. Foi uma viagem de família: meus pais, irmã D. e eu (a gente escolheu viajar em vez de ganhar festa de 15 anos).

Andando pelas ruas de Paris, eu pensei: "Bem que um dia eu podia morar aqui." E botei na lista de sonhos inalcançáveis.

Uns 5 anos depois, a irmã D. arrumou um emprego, trabalhou durante um ano e juntou dinheiro para, nas férias da faculdade, passar um mês em Paris estudando francês. Achei a ideia sublime. Era um jeito de realizar aquele sonho inalcançável lá de trás. Só que a irmã D. era corajosa; eu era um serzinho tímido e sem recursos financeiros para tal empreendimento. Botei na lista de sonhos eventualmente alcançáveis.

O tempo passou. Fiquei menos boba e mais corajosa. Formei, arrumei emprego, casei. Voltei a Paris a passeio - uns poucos dias que só serviram pra confirmar que continuava rolando um clima. Só, que, em vez de realizar o sonho, eu ficava arrumando desculpas: que queria estudar mais francês para aproveitar melhor as aulas (raciocínio parecido com o de quem quer entrar em forma antes de começar a ir à academia). Que não dava pra passar o mês todo de férias lá, já que existiam tantos lugares que a gente queria conhecer. Que ficava muito caro. E que isso, que aquilo e que aquilo outro.

Mas então, 20 anos depois, o sonho está perto de se realizar. Vamos começar nosso sabático alugando um apartamentinho e morando janeiro, fevereiro e março em Paris, fazendo francês na Alliance Française, enfrentando o frio porque será inverno.

Mal posso esperar.

12 comentários:

  1. História legal!

    Será que a primeira impressão é a que fica? Eu também não quis festa de 15 anos e em troca fui para disney. Na época gostei tanto que queria morar lá. Só que talvez tenha sido só coisa de adolescente. Ou eu que não sei levar as coisas adiante.

    Quando fazia italiano tinha uma colega uns anos mais jovem que tinha recém entrado na faculdade. O sonho dela era ir embora do brasil. Fazia italiano e alemão. Depois de um ano e pouco ela de fato foi passar um período na alemanha, casou com um alemão e agora está a passeio no brasil. O que parecia uma rebeldia de jovem de 18 anos foi na verdade uma determinação exemplar.

    Na verdade se ficamos colocando muito "que isso, que aquilo" nunca vamos à lugar nenhum ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adriana,
      eu já "morei" na Disney - quer dizer, trabalhei lá por três meses em um estágio universitário. Olha que rola, hein? =)
      É, se a gente ficar enrolando não realizada nada. Como dizem os americanos: quer quer arruma um jeito, quem não quer arruma uma desculpa...
      Beijos

      Excluir
  2. Eu tenho a mesma sensação sobre Paris. Rola tanto clima...Só não achei ainda a coragem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, eu sei - é todo um processo. Mas eu apóio, viu?

      Excluir
  3. Allons enfants de la patrie!!!
    Ai, que invejinha...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas você é que minha musa inspiradora, Daninha!
      E se eu fosse vocês ia com a gente...
      Beijos!

      Excluir
  4. Eu tenho clima com Berlim. Nossa! Moraria fácil!

    Na verdade, estou montando meu plano de independência financeira e planejando morar em Berlim e/ou Salzburgo. Aprender alemão é que vai ser dureza.

    Aliás, pra onde a Isa está indo, hein?

    Estou muito feliz por vocês! Muito mesmo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fê, Berlim é outra cidade que eu também acho que dá pra morar facinho... E ainda é barata, a danada!

      Hmmm, conte mais sobre esse planos!

      A Isa tá toda misteriosa, né? Vou ver se ela deixa eu contar.

      Beijos!

      Excluir
    2. Fe, tou indo morar em Frankfurt! Ainda nao e' o que eu quero, mas com um trampo que nao precisa falar alemao, ta' fantastico!, ne'? A ideia e' ficar uns anos la', aprender alemao direitinho, e depois achar um jeito de me mudar pra Berlim, que e' a cidade mais linda desse mundo e dos outros (na *minha* opiniao, ofcourse). Vamos trocar umas figurinhas sobre esses planos alemoes ai! :)

      Excluir
  5. Lu, eu não conheço Paris mas entendo isso que você falou pois sinto que poderia morar em alguns lugares maravilhosos e ser muito feliz por lá... acho que só não faço porque nesse momento não dá por uma série de motivos, mas tenho planos para daqui há alguns anos. Se eu pudesse escolher qualquer lugar pra morar definitavemente provavelmente escolheria uma entre as diversas cidades brasileiras que adoro, acredita? Lá fora eu moraria por alguns anos, mas só se soubesse que ia voltar. Parabéns por realizar esse sonho. Os sonhos tem que virar planos e sair do papel, como aconteceu com o seu. Beijo!

    ResponderExcluir
  6. Marina,
    eu também acho que tem muitas cidades bacanas no Brasil. Já flertei fortemente com Poços de Caldas, por exemplo. E sou encantada com Joinville.
    Adorei essa frase: os sonhos tem de virar planos. Vou adotar!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Lud, como assim que voce nao colocou a minha contribuicao!? Eu que disse 'entao vai! ja'! nao daqui a 30 anos!' rs. Ai, que orgulho da minha irmazinha! Beijo!

    ResponderExcluir