segunda-feira, 17 de setembro de 2012

O enigma das pessoas que vivem em cidades maravilhosas

Ultimamente um problema vem me intrigando: será que quem mora em cidades icônicas (Nova York, Paris, Florença, Rio de Janeiro) é mais feliz que os outros? Se sim, porque todo mundo não muda pra lá? Se não, o que eu estou indo fazer naquelas bandas?

Talvez a resposta esteja na opção: é possível que quem escolheu se instalar nesses lugares se sinta mais satisfeito do que quem nasceu em Buenos Aires ou arrumou emprego em Barcelona. Ou talvez seja questão de sorte: você pode combinar com o estilo de vida da sua cidade natal, ou não.

Nunca fui fã de grandes metrópoles. Não faço questão de baladas empolgantes. Às vezes acho que seria muito feliz em uma cidade pequetita e mimosa, como Ouro Preto - contanto que eu morasse perto de uma biblioteca e de uma faculdade.

Às vezes acho que a gente se acostuma. Depois de uns meses, a beleza das ruas e dos prédios vira lugar-comum.

Talvez a solução seja ficar se mudando sempre.


29 comentários:

  1. A minha frustração de vida sempre foi essa.
    Moro na Grande São Paulo e minha cidade é feia. Muito feia. Se eu estivesse em regiões mais bonitas de Sampa, apreciaria mais a vista, sabe?
    Eu gosto da estética das cidades, prédios, parques, casinhas, comércio. Por isso eu gostei razoavelmente de Porto Alegre (só visito). Morei numa cidade pequetita do RS. Não é tão bonita, mas é feliz. Não fui feliz lá, eu fui uma pessoa muito sozinha haha. O conjunto da obra me encanta, no entanto.
    Meu sonho é, quando me casar, o marido aceitar se mudar prum lugar bonito. De preferência para cidades do interior, aquelas médias, que incluem um clima gostoso, árvores, uma universidade para os eventuais filhos, qualidade de vida, e facilidade de transporte aéreo, se for o caso.
    Nunca gostei de praia, mas pretendo envelhecer nela. Nada mais me atrai que idosos caminhando à beira mar pela manhã, com mais ninguém na rua (leia-se carros), na baixa temporada.
    Um bom exemplo: Paulo Zulu (veja aqui: http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2012/09/15/paulo-zulu-escolhi-qualidade-de-vida-e-envelhecer-com-dignidade.htm )

    No mais, eu acho que cidades barulhentas e desorganizadas irritam meu desejo minimalista. Sinto-me nervosa, cansada e um tanto atordoada em transito, shopping, fila de padaria, metro, etc. Meu minimalismo quer rimar mais com vazio e silencio, ultimamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilly,
      Tem gente que não liga pra cara da cidade onde mora, mas eu sou bem visual. Não tô falando de luxo e riqueza, não, mas daquela estética que você falou.
      Compartilho seu amor pelas cidades médias e bonitas.

      Excluir
  2. Lud, essa resposta, inclusive, é algo que eu espero que você nos dê depois de ter passado por essa experiência. De antemão, já adianto o que ouço de pessoas que tiveram oportunidade de morar em países de primeiro mundo, mas preferiram voltar para o Brasil:

    1) Você nunca será um deles: você pode viver como eles, falar a língua deles, mas você nunca será tratado como igual, sempre será um estrangeiro (nada pior do que ser tratado como um outsider)

    2) Diferenças culturais: para muita gente, o nosso jeito brasileiro de ser (de falar bastante, ser expansivo, comunicativo) choca com o estilo mais frio, reservado e até alheio dos países primeiro-mundistas

    3) Barreira da língua: para algumas profissões, o domínio da língua é essencial e nem todo mundo consegue ter uma fluência de nativo, precisa ter aptidão para línguas.

    4) Para conseguir trabalho é mais difícil, seja porque os requisitos do visto sejam mais complicados (alguns países exigem que o empregador comprove que não existe um nacional do país qualificado para realizar o serviço e ainda cobram uma taxa alta para liberação do documento que deve ser paga obrigatoriamente pelo empregador, por exemplo) seja porque na hora de uma crise financeira quem você acha que eles vão demitir primeiro? E se você não for um alto executivo ou altamente qualificado, sempre vão pagar menos para vc que é estrangeiro.

    5) Ganhar a vida em outro país é diferente de fazer intercâmbio cultural ou estudantil. Se a pessoa está indo como você, com grana para se sustentar durante a estadia, é totalmente diferente de ir para lá para tirar o ganha pão. É como sair da casa dos pais para morar só pela primeira vez, com a preocupação de buscar uma renda própria.

    Enfim, essas são algumas das justificativas que ouço de quem voltou. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Freetalker,
      tenho lido muitos blogs de expatriados e vejo o pessoal levantando esses problemas mesmo. E só vou saber mesmo quando eu for, né? Mas adianto que, em tese, não ligo de ser outsider (embora me reserve o direito de ideia quando sentir na pele). Eu e o Leo "nos bastamos" bastante.
      Concordo com você: ir com dinheiro é bem diferente de ir ganhar a vida. Se a gente resolver ficar lá para sempre (e consequentemente ganhar a vida por aquelas bandas), aí já são outros quinhentos...

      Excluir
    2. Poisé, você está indo com uma super vantagem que estar ao lado de uma boa companhia. Sem contar que o Leo é da área de informática (se não me engano) o que faz com que os problemas de barreiras na língua na hora de arranjar emprego sejam menores, por exemplo :) Não vejo a hora de vc poder nos contar suas impressões, ainda mais com esse jeito divertido de escrever! Um dia, quem sabe, eu faço o mesmo que você, mas por enquanto, ainda estou em busca do meu cargo público ;P depois penso em licenças e vou usar o seu knowhow compartilhado aqui no blog, quem sabe! :D

      Excluir
  3. Uma vez saiu uma pesquisa que não sei quantos bilionários vivem em São Paulo e uma amiga comentou que achava um absurdo. Que com bilhão na conta ela passaria os dias andando de bicicleta em Amsterdã, Holanda e tudo mais. Nunca engarrafada em São Paulo!

    Daí que eu parei pra pensar que você pode ter muitos milhões e sentir que está perdendo tempo na vida andando de bicicleta. Daí faz todo sentido ficar em SP... Se sua família está aqui, ou o tipo de trabalho que mais te atrai, ou, como vc disse, o estilo de vida que mais você curte...

    Felicidade não me parece nada simples... ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabella,
      felicidade, além de não ser simples, é diferente para cada um, e ainda muda com a fase da vida, a danada!

      Excluir
  4. Pois eu já acho o contrário, Isabella :)
    Acho que a gente é que complica. É aquela velha história de sair correndo atrás da felicidade e nunca encontrar, pq na verdade ela esta´(ou deveria estar dentro da gente). É uma questão de pré disposição e determinação. É achar legal o caminho que vc faz pro trabalho, a chuva ou o sol que está fazendo e tais. Se a gente não tiver essa vontade (e disciplina, não vai curtir Brasília, Barcelona, Ouro preto, NY nem qq lugar que seja. Rotina existe em todo lugar e se a gente viciar o olhar, tudo perde a graça...
    Ai gente, desculpa. Tô meio Poliana hj! risos
    Isadora

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu penso bastante como você, Isadora. Acho que tem um tanto que depende sim do ambiente em que estamos mas o resto fica por conta da forma como a gente encara a coisa... Eu adoro São Paulo porque tem facilidades, tem mil e um museus, tem parques, etc. mas adoro Curitiba porque é bem mais calmo, pacato, etc. Acho que a gente tem que procurar sim o que nos agrada mais, mas se formos específicos demais nunca nos sentiremos bem. Os meus amigos, no entanto, dizem MESMO que tenho ataques de Poliana!

      Excluir
    2. Isadora e Marina,
      eu sou super Poliana! Acho que ver o copo meio cheio (ou muito cheio!) ajuda muito na busca da felicidade. Quantas pessoas que vocês conhecem que tudo tem para serem felizes e ficam reclamando, frustradas, insatisfeitas? Então! É uma armadilha na qual eu não quero cair!

      Excluir
  5. Além disso Isadora, tem essa coisa da pessoa não gostar do lugar, não se mudar e não fazer nada para melhorar. Aqui em SP tem muito disso, gente que vai na padaria da esquina de carro e reclama do trânsito, gente que reclama da sujeira mas joga papel no chão. Eu gosto de morar em cidade grande, e principalmente no centro, porque está tudo à mão, mas num futuro, como aposentadoria eu moraria numa cidade litorânea só pelo prazer de respirar o ar salgado e também numa cidade como Buenos Aires, cheia de cafés onde se pode entrar e ficar à vontade, sem atendentes perguntando se você quer a conta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ashen Lady,
      é o fim mesmo: quem reclama mas não se movimenta. Então fica quieto, poxa!

      Excluir
  6. Sabe, São Paulo não é linda, mas é uma dessas cidades que as pessoas acham o máximo. Agora que o Brasil "tá crescendo", então... Todo mundo quer vir pro Brasil. Eu tenho uma relação complexa com a cidade, porque adoro SP por tudo que ela tem a me oferecer, e me sinto super bem, uma parte do tempo, vivendo aqui. Mas ando cada vez menos sem saco pros problemas - especialmente porque faz anos que eu não pego trânsito todo dia, que uso pouco o carro, etc. Aì, quando pego um engarrafamento, isso me enfastia profundamente.
    Conheci um deputado canadense este ano que me disse que São Paulo vai ser a próxima capital do mundo. Ele ficou extremamente impressionado com a cidade. É um daqueles geniozinhos que fez o seu primeiro milhão antes dos 30 anos, saiu na capa da Forbes, etc. É um cara que enxerga longe. Me chama a atenção um cara visionário e empreendedor assim dizer isso de SP. Me faz pensar que talvez ele tenha razão.

    ResponderExcluir
  7. Eu cresci em ouro preto e amo aquela cidade! Também me sinto como você e acho que seria mais feliz morando em um lugar assim, pequeno, charmoso mas com alguma estrutura de lazer, cultura, etc.

    Eu já me mudei algumas vezes e o que eu penso é que a gente pode ser feliz em praticamente qualquer lugar. Bem, eu posso, pelo menos! Acho que tem cidades que são lindas, efervescentes, cheias de opções de lazer, cultura, etc. e que estão constantemente em mutação,em movimento. Esse movimento me encante e acho que seria felzi sim morando em uma "cidade maravilhosa". Acho que as pessoas não mudam todas pra lá por vários motivos... um deles é que tem gente que prensa como você e prefere morar em lugares com outras características (Ouro Preto é uma "cidade maravilhosa" para mim, por exemplo). Outro motivo é a impossibilidade de se mudar. Nem todo mundo viver de forma a poder fazer a escolha de se mudar e morar onde bem entende. Eu tenho uma grande amiga que é doida pra morar no RIO mas que tem um marido que trabalha na cidade onde residem atualmente e AMA o trabalho que faz; ela , por sua vez, também está muito envolvida com o trabalho que faz na comunidade local; além disso, a mãe dela tem uma doença que impede que se reorganizem em outra cidade. Enfim, nem sempre as pessoas constroem vidas que permitem que elas se mudem assim, por prazer...

    Conforme os anos passam sinto que conseguiria me adaptar a muitos lugares diferentes e estou menos presa às minhas referências da infância. Isso me ajuda muito a ser feliz e mais realizada.

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marina,
      a sua amiga não pode morar no Rio agora. Mas pode se planejar para o futuro, né? Olha eu: 20 anos para realizar o sonho, rs!

      Excluir
  8. É engraçado você falar sobre isso... Eu estudei minha adolescência toda na Savassi. Quando formei, fui pra UFMG e depois trabalhar em regiões outras da cidade. Dois anos atrás, voltei a trabalhar na Savassi. E... Nossa... Quanto amor!

    Adooooro a Savassi! Adoro as pessoas, os cafés, as ruas... Tudo que você precisa tem ali perto. Além disso, tem adolescentes saindo da escola (como eu antigamente), roda de capoeira, gente de gravata descontraindo no café 3 corações, amigos se encontrando.... Adoro andar e ficar vendo o movimento. Passei a dar mais valor ainda a isso quando mudei pra Pampulha (argh!).

    Adoro a Praça da Liberdade também! Correr lá de noite, quando estão molhando as plantas e vem aquele cheiro de terra molhada com dama da noite. Ai... Que delícia!

    Então eu acho que tem lugares em que a gente vai gostar mais de morar (e trabalhar) sim, não necessariamente cidades, mas talvez regiões, ou países, sei lá. E deve variar de pessoa pra pessoa. Então é legal você estar fazendo o teste, pra descobrir onde você vai se encaixar melhor :)

    Boa sorte!!!
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fê, eu acho mesmo que tem lugares que dão certo com a gente, por razões absolutamente subjetivas e particulares!

      Excluir
  9. Eu mudei minha vida inteira e não acho que essa seja a solução, não... o ideal é não acostumar o olhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E como é que faz pra não acostumar o olhar, Lu? =(

      Excluir
  10. Lud, eu não ia escrever nada não, mas como eu vi que não tem nenhuma carioca nos comentários...

    Eu nasci e cresci no Rio, mas só passei a Amar (de verdade) a minha cidade depois que passei uns meses morando nos Eua. O mais engraçado era os americanos ficando bestas de como eu larguei 'aquele paraíso que é o Rio' pra morar lá (rs). Adorei minha estada lá fora, curti e aprendi muito e fiquei muito triste de voltar, mas quando cheguei aqui e me senti em casa de novo e vi minha cidade linda de novo, descobri que não quero mais morar (muito) longe daqui nunca mais. Como eu não gosto dessa vida corrida de cidade grande, to namorando uma cidadezinha do interior e pretendo recomeçar a vida por lá, vamos ver no que dá.

    Acho mesmo que a felicidade não está onde vc mora (pq, sim, vai virar lugar-comum), mas ela está onde a gente quer que ela esteja. E o sentimento de estar morando onde vc sempre quis não tem preço - aquele que vc vai ter quando finalmente sentar no seu sofá lá em Paris rs.

    Bjs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bianca,
      conheci o Rio há pouco tempo e achei bacana mesmo! Às vezes a gente só dá valor quando passa um tempo sem, né?

      Excluir
  11. Lud, é mais a questão de se acostumar mesmo... Morei em Londres durante um ano e com o passar do tempo a cidade foi ficando totalmente comum pra mim... Nem os museus eu visitava mais e deixei de visitar muita coisa por causa disso. Hj não vejo a hora de voltar pra lá a passeio... Oh saudade daquela cidade linda! Bjo, carol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, que coisa! Vou me esforçar para visitar museus até o último dia, rs.

      Excluir
  12. eu acho o maximo pensar 'estou aqui porque escolhi'. acho que me da' uma certa responsabilidade de ver o que e' bom, de curtir a cidade, de aprender sobre ela... so' isso ja' me faz curtir muito mais as cidades nas quais vou parar. em compensacao, da cidade na qual nasci e morei durante 25 anos, posso dizer que conheco pouco - so' fui em varios pontos turisticos quando amigos de outras cidades foram visitar! olha que boba!

    algumas caracteristicas andam juntas, nao tem jeito - voce quer mesmo morar na cidade brasileira que mais tem opcoes culturais, restaurante, coisa acontecendo, gente!, e nao quer pegar nem um pouco de transito e poluicao? nao tem jeito, ne'. sao paulo e' linda como e', e ouro preto e' linda como e', cada uma com seu kit de caracteristicas proprias.

    e dai vem o meu ponto - acho que a gente tem que achar o lugar onde a gente fica feliz. e' o que eu tou tentando fazer. eu botei na cabeca que adoro o jeito alemao, gosto da comida, da lingua, do jeito que as coisas funcionam, e tou indo pra la. se vou sentir falta das ruas lindas e arborizadas de beaga, das milhares de opcoes de sao paulo, da beleza do rio e de salvador... acho que vou sim. e se essas saudades pesarem mais do que a minha felicidade com as cervejas, ai eu volto. mas pelo menos vou ter tentado ver como sao as coisas nos outros lugares.

    nao que todo mundo tenha que, ou deva, fazer isso. tem gente que nao tem como se movimentar tanto. tem gente que e' super apegada 'a familia e amigos (mals ae, Lud :). tem gente que tem que cuidar de um parente doente, ou tem filhos pra criar, ou outras coisas que as ligam a algum lugar especifico.

    mas e' o caso de pensar o que fazer para nao ter mais essas amarras, ou o que fazer quando nao tiver mais as amarras (os filhos formarem, sei la'). a razao pela qual eu entrei na empresa que trabalhei ate' hoje foi uma so': viajar por ai. e tou saindo porque ela nao me deixa viajar tanto quanto eu queria. porque e' isso que me deixa contente :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também acho que a gente tem de achar o lugar onde a gente fica feliz - e acho também que esse lugar muda com a época da vida, com os objetivos e com o que nos interessa no momento.
      É, eu ando mais pássaro do que árvore.

      Excluir
  13. Nasci num buraco, no interior, passei minha vida querendo vir pro rio. e sim, sou mais feliz aqui. msm agora que começa a fazer aquele calor que faz meu organismo dar xabu. por conta disso quero me mudar. mas pra outra cidade icônica-grandona. preciso de metrópoles. apesar de ser fã de scarlet o´hara minha força não vem da terra vermelha de tara =)
    abs,

    ResponderExcluir
  14. Bom, não sou mal educada, me apresento: sou mineira que mora no rio. sou blogueira tb (e mt, viciada em blogs, agora tenho que começou sobre casamento (a festa0 e virou casa/cachorro/casamento/organização eu eu eu eu e um de viagens, com maridon) e cheguei aqui pq uma amiga comentou, pq td mundo comenta cmg sobre blogs que gostam pq sabem que amo blogs. Planejo ir morar fora com marido, estou no mestrado agora e ainda não cheguei aqui na parte em que vcs dizem pra onde e como vão rs Mas percebi referências ao minimalismo, que é outra coisa que venho estudando. Bom, vou iniciar a leitura =)
    abs,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jackie! Bem-vinda!
      Pelo jeito você é das minhas... acha que blog é solução pra tudo, rs!
      Vou visitar os seus.
      Beijos!

      Excluir