terça-feira, 16 de outubro de 2012

Certidão Negativa de Débitos

Recebi uma cartinha da Receita Federal me cobrando uns dinheiros. Nem me afligi muito, porque eu tinha certeza que estava pago (e também porque os dinheiros eram poucos).

Tem um centro de atendimento virtual no site da Receita (o e-CAC). Fucei por lá e descobri que eu tinha declarado em 2009 uns débitos de renda variável (na época, o Leo brincava com ações e a gente ganhou uns tostões). Declarei e paguei, mas os valores eram relativos a meses específicos e eu fiz um pagamento grandão somando tudo. O sistema não enxergou. Logo, cartinha.

Juntei os meus papéis e fui bater na porta do atendimento físico ao contribuinte. Cheguei lá às 7 da manhã, hora em que começa o expediente, crente que ia ficar até o almoço. Saí de lá às 7:25, com uma certidão negativa de débitos na mão (que eu nem pedi - depois de encaixar meu pagamento gordo nos débitos em aberto, o atendente imprimiu e me deu).

A parte ruim? É que eu cheguei ao trabalho cedo, cedíssimo.

6 comentários:

  1. Lud, adorei essa pequena história que acabou sendo uma crônica deliciosa. A gente tem tanto hábito de lidar com a ineficiência que quando tudo funciona a gente quase não acredita... Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Olha, é o que eu sempre digo: as pessoas estão acostumadas com um perfil antigo e pernicioso do funcionalismo público. Hoje, as seleções estão mais rigorosas, os melhores estão indo para o setor público e, conseqüentemente, aquela história de servidor preguiçoso-mamador-das-tetas-do-estado está desaparecendo. Está longe de essa postura negativa do servidor acabar, mas já tem mudado bastante :)

    ResponderExcluir
  3. opa! a eficiencia de uma parte do servico publico contribuiu para o chegamento-mais-cedo-no-servico de outra parte do servico publico! : )

    ResponderExcluir
  4. Eu sou absolutamente encantada pelo seu jeito leve e descomplicado de ver o mundo!

    Ainda chego lá!

    ResponderExcluir
  5. Será que se vc já não trabalhasse para esse órgão seria tudo essa maravilha assim?

    ResponderExcluir
  6. Nada como ter grana pra pagar tudo!
    Privilégio pra poucos! Antonia

    ResponderExcluir